Academia participa das homenagens aos 170 anos de nascimento de Bernardo Mascarenhas - Academia
Academia

Academia » Fique Por Dentro » Notícias » Academia participa das homenagens aos 170 anos de nascimento de Bernardo Mascarenhas

Notícias

27/06/2017

Academia participa das homenagens aos 170 anos de nascimento de Bernardo Mascarenhas

Academia participa das homenagens aos 170 anos de nascimento de Bernardo Mascarenhas

Para celebrar  os 170 anos de nascimento de Bernardo Mascarenhas, 30 de maio de 1847,  foi constituída pela Secretaria de Governo da Prefeitura, uma Comissão composta pela Secretaria  Municipal de Educação, CEMIG, FUNALFA, Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora, UFJF, Academia de Comércio e outros. 
 
A programação teve início no último dia 30 de maio e irá até o dia 9 de novembro, quando acontecerá a entrega da Medalha Bernardo Mascarenhas, às 20 horas, no Teatro Academia, com a apresentação do Coral Mater Verbi dos Meninos Cantores da Academia.
 
Na terça-feira, 30 de maio, abrindo as homenagens ao grande empreendedor, uma visita ao túmulo dele, no Cemitério Municipal, foi realizada. O momento contou com a presença de representantes da Prefeitura, da Secretaria de Governo e de Educação, Cemig, Funalfa, Empav, Agência de Desenvolvimento, Academia de Comércio (representada pelo
o Coordenador do Ensino Médio, Ricardo Beire, e a Assessora de Comunicação, Bianca Martins), além de representantes de vários segmentos da sociedade.
 
Também na terça, 30, a Academia esteve representada pela Coordenadora de Cultura, Beth Sacchetto, na Praça Antônio Carlos, no Centro, às 19h, onde o vice-prefeito Antônio Almas discursou sobre a vida do homenageado, seguido do vereador Rodrigo Mattos.
 
Nessa oportunidade, a Secretária Municipal de Educação, Denise Vieira Franco, lançou o edital do concurso sobre o tema "Se eu fosse Bernardo Mascarenhas, o que faria hoje para a cidade de Juiz de Fora", direcionado aos alunos da rede municipal, do 6º e o 9º ano do Ensino Fundamental. A proposta é que sejam produzidos vídeos, podendo ser gêneros como documentário, animação, entre outros, de um a cinco minutos, abordando o tema Empreendedorismo.
 
Ainda dentro da programação de homenagens, o Coral Mater Verbi - Meninos Cantores da Academia, esteve presente, no dia 20 de junho, na Câmara Municipal de Juiz de Fora, no lançamento do vídeo de comemoração. 
 
Programação de homenagens:
20/06 
18h l Câmara Municipal
Lançamento do vídeo em comemoração, apresentação do Coral Mater Verbi Meninos Cantores da Academia 
 
01 a 11/08
Inscrição e entrega e trabalhos do Concurso Cultural Bernardo Mascarenhas
 
05/09
09 l Abertura do Memorial CCBM
19h l Premiação do Concurso Cultural, no auditório da Cemig
 
09/11
20h l Colégio Academia
Entrega da Medalha Bernardo Mascarenhas
 
Bernardo Cândido Mascarenhas
 
Nascido no município de Curvelo, em Minas Gerais, e filho de Antônio Gonçalves Silva Mascarenhas e Policena Moreira da Silva, Bernardo estudou no Colégio do Caraça, com os padres lazaristas franceses, entre 1860 e 1863. Desde muito jovem, era marcante seu espírito empreendedor. Prova disso é, que com pouco mais de 20 anos, fundou em parceria com seus irmãos a primeira fábrica de tecidos no sertão do estado, em Tabuleiro Grande.
 
Em 1887, quando chegou a Juiz de Fora, ele implantou o seu mais audacioso plano de empreendedorismo e inovação, se tornando um dos primeiros industriais brasileiros a abandonar a mão de obra escrava e contratar empregados assalariados. Em 1888, foi inaugurada a Companhia Têxtil Bernardo Mascarenhas, sediada em majestoso prédio na Avenida Getúlio Vargas, onde atualmente funciona o Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM). A Companhia foi a primeira tecelagem da América do Sul a utilizar energia hidrelétrica para mover seus equipamentos e também foi pioneira, no país, ao criar um Sistema de Previdência Social para seus trabalhadores, quando não havia legislação nesse sentido.
 
Bernardo criou também a Companhia Mineira de Eletricidade (CME) de Juiz de Fora, que passou a fornecer energia elétrica para a cidade e região. Aos poucos, a demanda pela nova invenção ganhou ruas e praças, tornando a cidade pioneira no uso da energia hidrelétrica em iluminação pública. A companhia existiu até 1980, quando foi incorporada pela Cemig.
 
Em parceria com outro juiz-forano, Francisco Batista de Oliveira, Bernardo liderou a criação do Banco de Crédito Real de Minas, fundado em 1889. Mascarenhas foi um de seus presidentes. Já, em 30 de março de 1891 um grupo de 39 cidadãos, visionários e comprometidos com a cidade, entre eles Bernardo Mascarenhas, reuniu-se no salão do Banco de Crédito Real de Minas Gerais. Estava fundada a Academia de Comércio.
 
 
 
 
Confira as fotos do lançamento do vídeo, na Câmara Municipal de Juiz de Fora:
 

Imagens: Humberto Nicoline

Academia participa das homenagens aos 170 anos de nascimento de Bernardo Mascarenhas

Fotos
ascomacademia2017